Sulcom Megaútil | Ajuda | Sulcom Ltda
  A B C D E F G H I J K L M N
    O P Q R S T U V W X Y Z
E Ou  
Aracnídeos - Escorpiões - Cobras - Megaútil - Sulcom Ltda
   Aracnídeos - Escorpiões - Cobras

       

Aracnídeos

Artrópodes aracnídeos da ordem Araneida, popularmente chamados de aranhas, na maioria terrestre. Cefalotórax ligado ao abdome por um pedículo muito estreitado; abdome não segmentado, provido de um a três pares de fiandeiras; quelíceras bi-segmentadas, o segmento distal em forma de garra; aparelho copulador do macho no tarso dos palpos; ovos envolvidos, geralmente em casulos.

Aranhas

Animais artrópodes aracnídeos, da ordem dos Araneídeos, de cefalotórax e abdome não segmentados, quelíceras terminadas em ponta para inoculação de peçonha, abdome com glândulas ou fiandeiras que segregam seda, com a qual fazem as teias. A maioria das espécies são terrestres e predadoras de outros artrópodes.São conhecidas aproximadamente 35.000 espécies.

Surgimento:

Provavelmente tenham surgidas há 400 milhões de anos atrás;
No período Paleozóico alcançaram um grande desenvolvimento;
As primeiras descrições datam de 1750.

Habitat:

Praticamente habitam toda a Terra;
Algumas estão em ilhas do Ártico;
Muitas espécies vivem no Brasil;
A dispersão pode ser feita pelo vento, pois muitas das aranhas deixam-se levar pelo fio de seda que soltam.

Alimentação:

Todas as aranhas conhecidas são carnívoras;
Alimentam-se principalmente de insetos;
É freqüente que um filhote logo que sai da ooteca (secreção de certos animais, a qual forma um estojo onde ficam encerrados os ovos.) devore os outros.

Características físicas:

Corpo dividido em duas partes:prossoma (cefalotórax), opistossoma (abdome);
Quatro pares de pernas;
Abdome arredondado;
De acordo com a posição das Quelíceras (apêndices anteriores, dos aracnídeos) distinguem-se dois grandes grupos:as Labidógnatas (artrópodes aracnídeos, araneídeos, da subordem Araneomorpha, providos de quelíceras verticais.) e as Ortógnatas (artrópodes aracnídeos, araneídeos, da subordem Mygalomorphae, caracterizadas por terem quelíceras horizontais).

 

Algumas espécies brasileiras:

Armadeira (Phoneutria)

   

Cor cinza ou castanho escuro, corpo e pernas com pêlos curtos. Atinge até 17 cm quando adulta, incluindo as pernas (corpo:4 a 5 cm).Escondem-se em lugares escuros, vegetação, calçados, etc..., de onde saem para caçar, em geral à noite. Por serem muito agressivas os acidentes são comuns, podendo ser graves para crianças menores de 7 anos. Uma dor intensa no local da picada é o sintoma predominante.

SINTOMAS: dor intensa no local da picada.
TRATAMENTO: analgésicos.
TRATAMENTO ESPECÍFICO: soro antiaracnídico polivalente. 5 a 10 ampolas.
DOSE ÚNICA. VIA INTRAVENOSA.

Aranha Marrom (Loxosceles)

Atingem de 3 a 4 cm incluindo as pernas (corpo:1 a 2 cm). Não são agressivas, vivem em teias parecidas com um lençol de algodão que são construídas em tijolos, telhas, barrancos, cantos de parede, etc... Dentre as aranhas brasileiras, é a que possui o veneno mais tóxico. Os acidentes são raros, mas em geral graves. Os primeiros sintomas de envenenamento são uma sensação de queimadura e formação de uma ferida no local da picada.

SINTOMAS: na hora da picada, dor pequena e despercebida; após 12 a 24 horas, dor local com inchaço, mal-estar geral, náuseas e, às vezes, febre. Pode causar necrose local.
Caso grave: urina cor de Coca-Cola.
TRATAMENTO: analgésicos.
TRATAMENTO ESPECÍFICO: soro antiaracnídico polivalente ou soro antiloxoscélico. 10 ampolas.
DOSE ÚNICA. VIA INTRAVENOSA.

Viúva Negra (Latrodectus)

   

Cor preta, com manchas vermelhas no abdômen, fêmea com 2,5 a 3 cm (corpo:1 a 1,5 cm); macho 3 a 4 vezes menor. Vivem em teias que constroem sob vegetação rasteira, arbustos, barrancos, etc... São conhecidos apenas alguns acidentes no Brasil, de pequena e média gravidade e, por esse motivo, não é produzido soro contra as espécies brasileiras.

 

Observações:

O maior número de acidentes é provocado pela Aranha Armadeira, por ser agressiva, e freqüente em residências;
A Aranha Marrom é considerada a mais venenosa;
As aranhas peçonhentas não fazem teia, exceto a Aranha Marrom;
A teia da Aranha Marrom, é irregular e semelhante a um chumaço de algodão;
Teias bonitas e bem construídas, encontradas nos tetos das casas, não pertencem a aranhas peçonhentas.
O número conhecido de aranhas venenosas não ultrapassa o de 30 em todo o mundo e pertencem ao gênero:Phoneutria, Loxosceles e Latrodectus.
Espécies não pertencentes a estes grupos citados acima podem, picar, porém geralmente a conseqüência é apenas uma dor local.

 

Escorpiões

Animais artrópodes, escorpionídeos, providos de doze segmentos abdominais, dos quais os cinco posteriores formam com o telso uma cauda terminada em aguilhão, através do qual é inoculada a peçonha, quelíceras trissegmentadas, palpos com robustas quelas terminais, e quatro pares de pulmões. São vivíparos e noturnos.

O escorpião tem capacidade de sobreviver até dois anos sem se alimentar, encerrado num vidro de laboratório, confere-lhe alguns recordes entre os seres vivos;
Ele existe há cerca de quatrocentos milhões de anos, e pouco mudou desde essa época;
Possui hábitos noturnos, é fluorescente à luz ultravioleta;
Quando molestado, desfere uma terrível ferroada com o aguilhão que tem pendurado na extremidade de sua cauda anelada;
Pequenos animais e crianças não conseguem sobreviver ao ataque da maioria das quase cem espécies existentes no Brasil;
Mesmo para os adultos a picada pode ser fatal.
    

Amarelo claro com manchas escuras sobre o tronco (corpo) e na parte inferior da cauda; quatro anéis na cauda com "dentinhos" formando uma serra. Chegam a medir sete centímetros. Abrigam-se em terrenos baldios com mato e lixo doméstico, em baixo de pedras, sob casca de árvores, cupinzeiros, barrancos, e frestas de paredes, muros, rodapés soltos, etc. Picam quando se sentem ameaçados.

   

Uma das peculiaridades do escorpião: ser fluorescente no escuro à luz dos raios ultravioleta e refletir o azul.

SINTOMAS: dor local imediata em 100% dos casos.
Sintomas gerais:sudorese, vômitos, agitação, manifestações cardiorrespiratórias.
TRATAMENTO SINTOMÁTICO: analgésicos.
O tratamento específico somente é utilizado:
quando o acidentado apresentar qualquer dos sintomas gerais descritos, sendo que crianças menores de 7 anos e velhos são mais susceptíveis.
TRATAMENTO ESPECÍFICO: 4 ampolas de soro antiescorpiônico ou antiaracnídico polivalente. DOSE ÚNICA. VIA INTRAVENOSA.

             

Serpentes Venenosas

Jararaca (Bothrops) Cascavel (Crotalus)

Possui FOSSETA LOREAL ou lacrimal, tendo a extremidade da cauda com escamas normais e cor geralmente parda.
Nomes populares: Caiçaca, Jararacuçu, Urutu, Jararaca de Rabo Branco, Cotiara, Cruzeira, etc.
Algumas espécies são mais agressivas; encontram-se geralmente em locais úmidos.

Possui FOSSETA LOREAL ou lacrimal; a extremidade da cauda apresenta guizo ou chocalho e cor amarela.
Nomes populares: Cascavel, Boicininga, Maracambóia, etc.
Essa serpente é menos agressiva que as Jararacas, e encontra-se geralmente em locais secos.

Surucucu (Lachesis) Coral Verdadeira (Micrurus)

Possui FOSSETA LOREAL ou lacrimal; a extremidade da cauda possui escamas eriçadas e cor alaranjada com desenhos pretos no dorso.
Nomes populares: Surucucu Pico de Jaca, Surucutinga.
É a maior serpente venenosa das Américas. Encontrada em regiões de florestas tropicais. Em Minas Gerais sabe-se de sua existência no Vale do Rio Doce e na divisa com o Espírito Santo.

Não possui FOSSETA LOREAL ou lacrimal (Atenção: Ausência de Fosseta Loreal é característica de não venenosas. AS Corais são exceção).
Coloração em anéis vermelhos, pretos, brancos e amarelos.
Nomes populares: Coral, Coral Verdadeira, Ibiboboca, etc.
É encontrada em tocas - hábitos subterrâneos. Essa serpente não é agressiva.

 

   Megaútil  |  Ajuda  |  Sulcom Ltda Copyright © 1999 todos os direitos reservados